Espaço e Tempo Revelar LX
Espaço e Tempo Revelar LX
APRESENTAÇÃO PONTOS INTERESSE PROJECTO ESCOLA MAPAS ACONTECE ENVIE POSTAL EFEMÉRIDES ENGLISH  english
 
SABIA QUE...
Página Principal > Pontos de Interesse > Equipamentos > Elevadores > O a Z > Santa Justa (Elevador de )
Santa Justa (Elevador de )
Elevador de Santa Justa, Paulo Guedes, Início do Século XX, Arquivo Municipal de Lisboa, AFML - A25118
Elevador de Santa Justa, Paulo Guedes, Início do Século XX, Arquivo Municipal de Lisboa, AFML - A25118

Localização
Rua do Ouro/Largo do Carmo
Freguesia: São Nicolau

Autoria
Raoul Mesnier de Ponsard

Inauguração
10 de Julho de 1902

Em 30 de Abril de 1896, a Câmara Municipal de Lisboa concedeu a autorização de construção e exploração de um elevador em movimento vertical, das Escadinhas de Santa Justa ao Largo do Carmo, ao engenheiro Raul Mesnier. A sua construção iniciou-se em 2 de Julho 1900. Na tarde de 31 de Agosto de 1901, procedeu-se ao assentamento da sua ponte metálica. A inauguração deste elevador ocorreu a 10 de Julho de 1902, às 12h, com o lançamento de doze morteiros. O elevador estava enfeitado com bandeiras, flores e verduras. O elevador é todo construído em ferro. As suas duas torres estão inacabadas; segundo o projecto inicial deveriam rematar em cúpulas e minaretes, os quais nunca foram construídos. Em cada torre existe uma cabina para transporte de 30 passageiros. As cabinas eram ligadas por um cabo de aço e duas correntes. O elevador era movido por duas máquinas a vapor com a força de 12 cavalos. À medida que uma cabina subia, descia a outra. Foi electrificado em 1906. Último dos nove elevadores construídos em Lisboa, o elevador de Santa Justa, ou elevador do Carmo, também designado por Ascensor Ouro-Carmo, tem uma altura de cerca de 32 metros, e liga a Baixa ao Largo do Carmo. De todos os elevadores de Lisboa, este exemplar da arquitectura de ferro, em estilo neogótico, é o mais monumental, com uma arquitectura mais elaborada recriando no ferro as inspirações medievais da arquitectura do Convento do Carmo. Em 1939, passou para a posse da Carris. Muito conhecido pelos turistas, a sua utilização diminuiu com o incêndio do Chiado e fecho de alguns estabelecimentos comerciais na zona. Fechado ao público durante 13 anos, por razões de segurança, foi reaberto em Dezembro de 2005. Em 2002, foi classificado Monumento Nacional.

Bibliografia
«Ascensor de Santa Justa-Carmo: inaugurado em 10 do corrente» in O Occidente,  A. 25, vol. 25, nº 848 (1902), Lisboa, p. 156.
ESTRELA, Edite, Lisboa - A cidade dos Elevadores, 1.ª ed., Lisboa, Companhia Carris de ferro de Lisboa, 1986.
FERREIRA, L. F. Marrecas, «Raul Mesnier e o seu elevador da Santa Justa» in Brasil-Portugal, A. 3, vol. 3, n.º 64 (16 Set. 1901), Lisboa, pp. 246-247.
GURRIARÁN, José António, Lisboa: Uma Cidade Inesquecível. Mapa e roteiros completos, Mérida, Badajoz, Limite Visual, 1997, pp. 194-195.
MENDONÇA, Manuela (coord.), História da Companhia Carris de Ferro de Lisboa em Portugal (1850-1901), 1.ª ed., Lisboa, Companhia Carris de Ferro de Lisboa, S.A. e Academia Portuguesa de História, 2006.


Saber mais em:


Voltar contacte-nos imprimir página guardar página enviar endereço
Mapa do Sítio | Perguntas Frequentes | Assine o Livro de Visitas | Política de Privacidade e Segurança | Adicione aos favoritos | Sugira a um Amigo | Links Úteis
  Bibliotecas Municipais de Lisboa Arquivo Municipal de Lisboa Símbolo de Acessibilidade Visite o sítio português do projecto light Projecto co-financiado por Bandeira UE INTERREG 3C Câmara Municipal de Lisboa  
© 2005 - REVELAR LX - Todos os direitos reservados.  seara.com