Espaço e Tempo Revelar LX
Espaço e Tempo Revelar LX
APRESENTAÇÃO PONTOS INTERESSE PROJECTO ESCOLA MAPAS ACONTECE ENVIE POSTAL EFEMÉRIDES ENGLISH  english
 
SABIA QUE...
Página Principal > Pontos de Interesse > Equipamentos > Escolas/Liceus > G a N > Maria Amália Vaz de Carvalho (Liceu )
Maria Amália Vaz de Carvalho (Liceu )
Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho, Salvador de Almeida Fernandes, 1958, Arquivo Municipal de Lisboa, AFML – A27719 (Clique para ampliar)
Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho, Salvador de Almeida Fernandes, 1958, Arquivo Municipal de Lisboa, AFML – A27719 (Clique para ampliar)

Localização
Rua Rodrigo da Fonseca, 115-115B
Freguesia: São Sebastião da Pedreira

Data
Fundado em 1885

O Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho foi, fundado em 1885 por iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa. As primeiras instalações situavam-se num edifício no Largo do Contador-Mor, em Alfama. Inicialmente chamava-se Escola Maria Pia. Esta escola tinha como objectivo principal "a emancipação da mulher pela instrução", como se pode ler no seu primeiro relatório. No início, tinha cerca de 45 alunas inscritas, terminando apenas com 26 alunas. Os primeiros cursos ministrados eram lavores, tipografia, telegrafia e escrituração comercial.

Em 1906 a escola passou ao estatuto de liceu feminino, por decreto do rei D. Carlos. Passa a ser o primeiro liceu feminino em Portugal. Em 1911 é transferido para o Palácio Valadares, no Largo do Carmo, no Chiado. O liceu muda novamente de nome, em 1917, para Liceu Central de Almeida Garrett.

O problema das instalações continuava por resolver. Um primeiro projecto, da autoria do arquitecto Ventura Terra, acabará por ser substituído por outro, o actual, embora baseado no anterior, nomeadamente no que se refere ao átrio e à escadaria central. Por fim, no ano lectivo de 1933-1934, após alguns anos de luta para ver alterada as suas instalações para umas maiores o Liceu abre as suas novas e definitivas dependências na rua Rodrigo da Fonseca, passando a chamar-se de Liceu Feminino Maria Amália Vaz de Carvalho.

Após o 25 de Abril este deixou de ser exclusivamente feminino, tanto em relação aos alunos, como ao pessoal docente, auxiliar e administrativo.

Com a unificação do Ensino Secundário, o Liceu passa, tal como todos os restantes liceus do país, a designar-se Escola Secundária.

Bibliografia
BARROS, Teresa Leitão de – Os Nossos Liceus. In MOTTA, A.A. Riley, director; SEQUEIRA, F.J. Martins, subdirector – Liceus de Portugal. Lisboa: Boletim da Acção Educativa do Ensino Liceal. Liceus de Portugal. Nº 2 (Junho), 1940, p.86.


Saber mais em:


Voltar contacte-nos imprimir página guardar página enviar endereço
Mapa do Sítio | Perguntas Frequentes | Assine o Livro de Visitas | Política de Privacidade e Segurança | Adicione aos favoritos | Sugira a um Amigo | Links Úteis
  Bibliotecas Municipais de Lisboa Arquivo Municipal de Lisboa Símbolo de Acessibilidade Visite o sítio português do projecto light Projecto co-financiado por Bandeira UE INTERREG 3C Câmara Municipal de Lisboa  
© 2005 - REVELAR LX - Todos os direitos reservados.  seara.com