Espaço e Tempo Revelar LX
Espaço e Tempo Revelar LX
APRESENTAÇÃO PONTOS INTERESSE PROJECTO ESCOLA MAPAS ACONTECE ENVIE POSTAL EFEMÉRIDES ENGLISH  english
 
SABIA QUE...
Página Principal > Pontos de Interesse > Arte Pública/Escultura > Monumentos > G a N > Marechal Duque de Saldanha (Monumento ao )
Marechal Duque de Saldanha (Monumento ao )
Inauguração do Monumento ao Duque de Saldanha, Paulo Guedes, 1909, Arquivo Municipal de Lisboa, AFML – A8997 (Clique para ampliar)
Inauguração do Monumento ao Duque de Saldanha, Paulo Guedes, 1909, Arquivo Municipal de Lisboa, AFML – A8997 (Clique para ampliar)

Localização
Praça Duque de Saldanha
Freguesia: São Jorge de Arroios

Autoria
Escultor Tomás Costa; Arquitecto Ventura Terra (pedestal)

Data
18 de Fevereiro de 1909

No ano de 1889, no reinado de D. Luís, foi decretado pelas Cortes Gerais o “levantamento” de um "monumento" em homenagem a João Carlos Gregório Domingos Vicente Francisco de Saldanha de Oliveira Daun (1790-1876), 1.º conde, marquês e duque de Saldanha.

Esta estátua colossal foi inaugurada apenas em 1909, pelo rei D. Manuel II, na presença de descendentes do duque de Saldanha, do vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Anselmo Braamcamp Freire, de vereadores, dos membros da comissão encarregue de erigir a obra e outras individualidades.

Esta peça é composta por um pedestal quadrangular concebido em calcário de lioz, ladeado por colunas com capitéis canelados. Na parte superior desta estrutura assenta a estátua pedestre, em bronze, do marechal e duque de Saldanha, representado em uniforme militar completo, numa postura enérgica e vigorosa, própria de um chefe militar.

Na face frontal do pedestal está colocada uma estátua alegórica “vitória alada”, em bronze, empunhando uma espada. Nas outras faces existem outros elementos decorativos, entre eles, o Brasão Real, rodeado por uma coroa de ramos de louro e carvalho; três medalhões simbólicos, referentes à vitória na Guerra Peninsular (1808-1814), às Campanhas de Montevideu (1816-1823) e às Campanhas da Liberdade (1826-1834); assim com três festões de folhas.

As esculturas e todos os elementos ornamentais em bronze foram executados na fundição de canhões do Arsenal do Exército entre 1904 e 1907.

Bibliografia
FERREIRA, Rafael Labourde; VIEIRA, Vítor Manuel Lopes – Estatuária de Lisboa. 1.ª edição. Lisboa: Amigos do Livro, Lda., 1985.
REMESAR, Antoni – Estatuária e Escultura de Lisboa: Roteiro. 1.ª edição. Lisboa: Câmara Municipal – Património Cultural, 2005. ISBN 972-8543-03-4.


Saber mais em:


Voltar contacte-nos imprimir página guardar página enviar endereço
Mapa do Sítio | Perguntas Frequentes | Assine o Livro de Visitas | Política de Privacidade e Segurança | Adicione aos favoritos | Sugira a um Amigo | Links Úteis
  Bibliotecas Municipais de Lisboa Arquivo Municipal de Lisboa Símbolo de Acessibilidade Visite o sítio português do projecto light Projecto co-financiado por Bandeira UE INTERREG 3C Câmara Municipal de Lisboa  
© 2005 - REVELAR LX - Todos os direitos reservados.  seara.com